PortalPortal  InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe|

O Gramado

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo
AutorMensagem
DouglasEagle
avatar
Mestre
Mestre

Masculino Postagens : 71
Data de inscrição : 03/05/2010
Localização : Bragança Paulista
Emprego/lazer : Webmaster, Psicólogo, entre outros/Chá.
Mensagem Pessoal : É a vida.


Ver perfil do usuário http://labvermelho.blogspot.com
MensagemAssunto: O Gramado Dom Jun 20, 2010 9:10 am



█████Resolvi então começar uma nova publicação, não foi criada para ação, aventura, comédia ou qualquer coisa coisa, e sim para imaginar e pensar, ou pensar e imaginar.

█████Estarei soltando a cada dia, dois capítulos. Alguns dias, apenas um. Outros, nenhum.



█████Em uma cidadezinha no interior de São Paulo, em véspera da madrugada de Sábado, dentre quase toda a população em pleno sono, havia um garoto jovem, acordado e sem sono.



█████Saíra de seu quarto de um jeito muito estratégico: abria a janela pelos dois lados (pois, havia uma proteção de tela que só se abria pela parte de fora) e jogava então, uma mochila com todo seu equipamento tecnológico, ou simplesmente seu computador portátil, com uma mochila que costumava usar na escola. Levava também uma garrafa de água de 510ml.
█████ -Uaaah. Sem sono, cara. – Disse ele pra si mesmo.
█████Resolveu-se então continuar seus treinos diários durante a noite. Seus familiares se perguntaram e ainda se perguntam, o que um garoto desses faria em plena madrugada num gramado à fora? Malícia?
█████Não. Eu faço exercícios físicos. - Ele sempre responde.
█████Mas é a pura verdade, ele só não completava que também fazia karatê¹, pois seus familiares de casa, não aceitavam a luta como uma boa coisa.

█████O céu brilhava com estrelas, brilhava, pois, quando ele chegou, havia estrelas à vista, e quando olhou de novo, o céu estava sem elas.
█████- Putz, como isso? Será algo... dele?
█████Acreditava numa força superior que existia em todo lugar, mas seria apenas uma pessoa, ou ser, ou qualquer coisa. Não se sabe se ele fazia algo mais para essa pessoa, ou ser, ou qualquer coisa, mas falava com ele, telepaticamente.

█████Ao se sentar no gramado e ligar seu computador pessoal, desligou a parte sonora, por motivos óbvios. O colocou em cima da mochila, como apoio e evitação de sujeira. A única fonte de luz é a tela brilhante do computador. Estava frio, a previsão do tempo dizia que faz treze graus Celsius.

█████Bebeu mais um gole de água e começou a pensar. Além de ver que estava esfriando.
█████Talvez ele queira que eu volte, ou que eu então tente suportar o frio. – Pensou.
█████As folhas de mato alto, do terreno vizinho, começaram a se debaterem com o frio. Isso não o assustou, só viu que cada vez mais o frio chegava.

█████Impossível estar treze graus, tem que ser menos. Maldito seja a previsão do tempo. – Bebeu mais outro gole, viu que já bebeu um quarto da garrafa e suspirou – Vamos lá... você já aguentou cinco graus na casa do teu primo... você consegue. – Ele tentava se encorajar a aguentar o frio. Ficar no gramado à fora conversando com uma pessoa, ou ser, ou qualquer coisa até a bateria acabar, ou não.

█████Assobiava folhas, alertando que o frio acabara de esfriar mais ainda. Ele sentiu isso, e ele assobiou também, assobiando o tema da música do Super Mario Bros². Foi algo irônico e normal, ele curtia jogos. Resolver jogar agora?
█████ - Nem pensar.


█████Olhou então para o seu papel de parede do computador, e começou a pensar nas coisas que ele desenhou. Nem tudo foi desenhado totalmente por ele, mas ele fazia uma boa parte. Havia um desenho. Um único desenho, que pra ele poderia significar a vida dele. Um desenho, que ficava ao lado de sua réplica desenhada.
█████ - Aaah... ela. – Ela quem? Não se sabe, ele costumava mudar seu papel de parede várias vezes, com mais ou menos desenhos. – Onde ela estaria agora? Dormindo? Provavelmente... mas e se saiu com alguém ou para alguma outra cidade? Poderia também ser. E por que raios estou pensando sobre ela? Por que estou fazendo mais perguntas e respostas duvidosas? Por que eu vim ao gramado? Por que não vejo mais estrelas no céu? Por que está ficando mais frio e escuro, sendo que isso só aconteceu quando eu trouxe a tecnologia para cá? Pra que tantas perguntas?


█████Meia noite.
█████ - Sábado. Droga. – E bebeu mais um gole de sua garrafa.
█████Ele odiava Sábado e Domingo, pois gostava da escola e de seus colegas, mesmo odiando-os.

█████Fazia cada vez mais frio, e as coisas pararam: as folhas do mato alto do vizinho que se debatiam, pararam de se mexer. Só ouvia outras folhas, do gramado do garoto, e grilos.
█████ -Se vier algum aqui... vão ver. – Já pensara. A sorte dos grilos, é que eles estão no gramado do vizinho.


█████As folhas começaram a se debater de novo. O garoto estava desistindo. Suas mãos estavam trêmulas e cobertas pelo frio. Mal conseguia sentir ele, suas mãos quentes e o teclado.
█████- Tá bom, tá bom. Vocês (folhas), ganharam. E você também. – Falou à pessoa, ou ser, ou qualquer outra coisa. E então, ele parou de escrever e guardou todo seu equipamento.
█████ Abriu as janelas sem fazer muito barulho, pois havia um quarto ao lado, da força terrestre superior a ele: seus pais, que faziam parte dos muitos da população da cidadezinha que estavam dormindo. Jogou a mochila e fechou a janela e foi dar a volta pela cozinha.

¹Karatê – Uma arte marcial do Japão.
²Super Mario Bros - Um jogo de pular em cima dos outros. Originário no Japão também. Criada pela Nintendo.


█████Chegou à cozinha, num frio total, descendo as escadas do corredor do lado de fora bebendo água, sentia que o frio fez ele 'tomar friagem' e sentir uma coisa estranha na garganta.
█████ - Será que vou ficar mais doente do que sou?

█████ Abriu a porta da entrada, sentiu um calor em casa. Viu que a televisão estava ligada, significava que seu tio, irmão da sua mãe, estava acordado. Ele apareceu depois.

█████ -O que você estava fazendo lá fora? Os seus exercícios? – Ele pergunta, num tom do tipo 'Está bem frio lá fora'.
█████ -Não agora, estava escrevendo. – O garoto disse numa total calma.
█████ -E você levou seu notebook? Nesse frio?
█████ -Sim, . Só que o frio me venceu... dessa vez.
█████ - Você é estranho, hein. – E então saiu da cozinha para algum lugar que o garoto não chegou a saber.
█████O garoto já estava acostumado a ouvir isso de seus parentes, amigos, colegas e seus conhecidos. Talvez também a pessoa, ou ser, ou qualquer outra coisa pense isso também.


█████Já aconchegado em sua cozinha, ele pega uma xícara de chá, o ruim é que estava acabando o chá: a térmica estava quase vazia.
█████ -Droga.
█████Olhou em sua volta, começou a observar a sua própria cozinha como nunca observou: Era um quadrado, mais ou menos, sua entrada tinha um tapete molhado de chuva da noite passada, com um par de tênis vermelhos de sua mãe, que fazia parte da grande parte da população dessa cidadezinha que está dormindo. Entrava, e via então a sapateira e ao lado a pia. No centro eram duas mesas de aço, aquelas de bares, juntas com um pano de cozinha em cima. Ao redor, duas portas e duas geladeiras e um fogão e uma mesa com micro-ondas e uma estante de pratos e apenas uma janela, mas era grande e também havia uma televisão em cima de uma geladeira.
█████Nessa televisão, ele viu que tinha uma data especial para os normais dentre ao seu redor, uma data de que ele não gostava, ou pelo menos não via um lado bom: o Dia dos Namorados.
█████ -E eu vou saber a data disso? Será Sábado... hoje?
█████ -Ele vira sempre pares de pessoas, um homem e uma mulher (e uma vez, um homem com um homem), se beijando, abraçando, e com uma trilha sonora. E ele pensou naquele desenho que vira enquanto estava morrendo de frio lá afora no gramado. Saiu da cozinha, decepcionado de ter perdido ao frio e estar sozinho.

█████Estava todo escuro, e tentou se aventurar em seu corredor, no todo escuro. É a mesma coisa que desenhar um corredor e pintar tudo de preto.
█████- Ai meu pé. – Ele tropeçou no começo da escada. Pelo menos sentiu que estava perto de seu quarto.
█████- Ai meu outro pé. – Bateu o outro pé em outro degrau. Contando que são apenas três degraus.

█████Chegou ao quarto, ligou a luz. Pegou a mochila e automaticamente recolheu suas coisas que tinha usado no gramado: o computador portátil, ou notebook. Olhou em volta, e observou seu quarto como nunca observou: Era outro quadrado, com dois armários que não eram dele; uma cama com capa rosa que também a capa não era dele, mas ele dormia nela; duas mesas, uma azul e outra branca, ele usava-as para deixar suas coisas, a azul os cadernos e álbuns de fotos, a branca, seu escritório: uma caixa de som potente e caixa de madeira antiga que comprara de sua mãe por 150 reais e caixa de CDs antigos e remédios e cadernos e bonecos de colecionador e microfone e sua estante improvisada para fios e cabos, e uma fita colante e uns fios e um afinador de seu violão e uma borracha e duas pilhas e uma tampa de caneta sem rumo.

█████Ligou e então voltou a escrever.
█████- Será que eu ouço alguma música enquanto escrevo?
█████Ouvir música e escrever é algo normal pra ele. Estudava, lia fazia uma penca de coisas ouvindo música, sem perder a concentração. Pegou então seu headphone

¹Headphone - “Head” de cabeça, “Phone” de fone. Um fone de ouvido que passa pela cabeça inteira. Ela 'tampa' o ouvido.


█████A cada vez que digitava, sentia um pouco se sono. E ainda lembrou-se que não tomou banho, pois dormiu na Sexta, das duas da tarde, ou quatorze horas até as nove da noite, ou vinte e uma horas. Abriu então seu iTunes² e começou ouvir porcarias. Na previsão do tempo, estava de dezesseis graus de máxima, e seis de mínima.
█████ -Putz, deveria então ser uns oito graus, porque estava frio mesmo. – E colocou uma entonação forte no mesmo. E ouvia algo que não era de sua natureza.
█████Ouvia algo que ele não aceitava, ou pelo menos não gostava. Era o ritmo Sertanejo, que erroneamente e sarcasticamente ele chamava de Sertanojo. Ele falara para algumas pessoas que conhecia, que ele tinha uma lista imaginativa de exceções, até para Sertanojo. Era a dupla Edson & Hudson, quando eles ainda trabalhavam em conjunto³. O motivo da exceção? Não existe.

█████Ele achava que seu texto era uma total chatice, pois não havia nada de interessante, a não ser uma biografia sem graça. Resolveu continuar essa biografia até chegar a um capítulo par, para combinar com seu horrível dia que viu na televisão.

█████Olhou à mesa azul e viu seus cartões de estudante dos anos passados, especificamente o de dois mil e cinco. Como ele era mais bonito, inocente, burro, feliz.
█████ -Não acredito que eu ainda tive esse passado...

█████Trocou as músicas para um ritmo mais bonito. As orquestras de Paul Mauriat, que são realmente bonitas e bem feitas. Começou com a música Love Is Blue.
█████ -Putz, nem fala nisso. Ainda bem que orquestra não tem canto... nem imagino como seria então. Não tem algo que não tenha 'Love' em título? Já estou ficando louco. – Mas resolveu deixar a música soar, não é à toa que ele tem uma alta tolerância de músicas, mesmo sendo fechado a isso.


█████Sentia cada vez mais sono. E ainda se lembrava que precisava tomar banho. Mas queria não fazer os dois. Preferia ouvir orquestras e escrever até pelo menos 5 capítulos.

█████Seus olhos ficavam mais pesados. Quando pensou na palavras olhos e pesados, os juntou e lembrou de uma conversa que teve com seu desenho. Juntos, ficaram passando a noite conversando com olhos pesados, mas preferiram ficar conversando, dando risadas.
█████ -Pena que durou pouco tempo... sinto saudades de dias como esses. Mas espera: estou falando de quem? E do quê? E por quê? Odeio fazer perguntas que não tem resposta. – Parou de escrever e então só ouvia música e debatia as pilhas numa na outra, seguindo o ritmo da música.
█████ -Melhor então eu tomar banho, posso ficar mais acordado. – Chegou à conclusão.

█████A música no momento era La Nuit, que segundo ele, que segundo a lógica, que o título poderia ser A Noite.
█████Ele acha que a melhor música é The Last Waltz ou Sans Toi Sunny, ou qualquer outra dessas orquestras. Ele acha também que headphones com estéreo são a melhor maneira de ouvir uma música. Pois ele, o estéreo, divide a música em dois lados, que é possível senti-las cada instrumento ou voz, ou qualquer outra coisa separadas para um dos lados. E também que os headphones tampam a orelha por completo, deixando o usuário com a música apenas. E os outros sons do ambiente, num volume mais baixos.

█████Andava para todos os lugares que ia, com headphone e seu celular. Ia a pé, carro, em qualquer situação com seu headphone. É algo bem engraçado: imagine um celular Nokia fino e pequeno, do modelo cinco três dez XpressMusic com um “fone de ouvido” daquele tamanho. É claro, muita gente, que também fazem da grande parte da população que nessa hora da madrugada estão dormindo acham estranho.
█████ -Já me chamaram de Galvão Bueno... DJ... Narrador de Rádio... Maluco... e uma penca de coisas. – Refletiu em alguns de seus milhares de milhares de apelidos.
█████ Só que, foi-lhe proibido o uso do headphone para fora de casa, ou caminhadas a pé. E então comprou um fone de ouvido por vinte e cinco centavos, uma pechincha.
█████ -Onde comprou isso por vinte e cinco centavos?! – Seus colegas o perguntara quando ele falou que comprou por vinte e cinco centavos.
█████ -Na mercearia do Vítor!

█████Mercearia do Vítor é o quarto de Vítor, um amigo do garoto: Ele vendia de tudo, desde uma folha de grama até o quarto. Ele vendia e acredita-se que ainda vende, coisas muito baratas, quase nem a metade do preço. O garoto gostou da oportunidade e comprou até uma raquete de tênis de mesa, ou pingue-pongue ou ping-pong.


█████Ih. Já são 01:12. – Ele viu as horas na barra ao lado direito da tela de seu notebook.
█████E então, ele deixou o notebook carregando, pausou o iTunes e foi tomar banho.

²iTunes – Programa de computador que tem a funcionalidade de reproduzir músicas em uma lista determinada.
³Em algum dia por aí, ambos se separaram, Hudson iniciou uma banda de rock, enquanto Edson, criou 'Edson e Você'. Sacanagem.



Há mais capítulos, só que é irritante adaptar o HTML para o BBCode, então estarei atualizando o tópico com menos frequência, caso queira ler com mais agilidade, visite o meu blog: http://labvermelho.blogspot.com/ Na categoria O Gramado.

Obrigado Pela Atenção - OPA.

_________________________________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Gramado

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
The World of EverGrand :: Desenvolvimento :: Roteiros :: Desenvolvimento-